Notícias

Tradução de Tolkien para Beowulf será lançada após 90 anos

By 22 de março de 2014 12 Comments

Ele sabia tudo sobre heróis. Na verdade, inventou gerações inteiras de grandes guerreiros, assim como orcs, elfos, anões e outras criaturas fantásticas. Mas antes de escrever as suas obras-primas, “O hobbit” e “O Senhor dos Anéis”, J.R.R. Tolkien se envolveu com um herói que já existia. Mais especificamente, um dos mais famosos da história da literatura britânica: Beowulf. Há 90 anos o autor traduziu este poema épico do século XI, o mais longo do inglês antigo, como informou o jornal “The Guardian”. Mas a sua versão de “Beowulf” nunca foi publicada. Até agora. No próximo dia 22 de maio verá a luz no Reino Unido, após um acordo entre Christopher Tolkien, filho do grande romancista, e a editora HarperCollins.

Além de escritor, Tolkien (o pai) foi professor de inglês antigo. E terminou a tradução de “Beowulf” em 1926. No entanto, “parece que nunca planejou editá-la”, pelo menos é o que o conta o filho na apresentação da publicação. “Beowulf: A translation and commentary” incluirá ainda uma série de palestras que Tolkien ofereceu sobre a obra nos anos 1930, além de seu conto “Sellic spell”. O autor morreu em 1973, deixando muito material incompleto e não editado, e que o filho tem publicado, gradualmente, ao longo dos últimos anos.

Entre outras coisas, “Beowulf” foi alvo de um debate secular entre filólogos. A questão se concentra na primeira palavra do manuscrito, “Hwæt”. “Ouve”? “Escuta”? “Então”? “Atenção”? O “Guardian” relata que nada se disse na reunião desta quarta-feira a respeito de como Tolkien solucionou o mistério. Será preciso esperar até maio.

“Beowulf” narra a história do príncipe homônimo, de como ajudou o rei dinamarquês Hroogar e derrotou um mostro chamado Grendel e sua mãe, antes de uma baralha final contra um dragão. A obra sobreviveu em um único exemplar, que hoje em dia pertence à Biblioteca Nacional do Reino Unido, e inspirou, durante os séculos seguintes, centenas de interpretações e romances. Entre o material mais recentes está o longa de Robert Zemeckis, de 2007.

O autor de “O Senhor dos Anéis” adorou “Beowulf”. “Teve um grande impacto sobre o que Tolkien escreveu, desde os seus primeiros poemas sobre a Terra Média, de setembro de 1914”, garantiu ao “The Guardian” John Garth, autor do livro “Tolkien and the Great War”. O escritor britânico considerava “Beowulf” como uma obra “carregada de história, sombria, trágica, sinistra e curiosamente real”.

Por El país

12 Comments

Leave a Reply