Identidade e origem dos Nazgûl

Explorar estas criaturas desconhecidas em O Senhor dos Anéis é o que fornece uma poderosa experiência de leitura, a qual parece resistir bravamente ao teste do tempo.

Identidade e origem dos Nazgûl

Nota prévia do tradutor:

O presente texto, em que pese não ser de nossa autoria, pareceu-nos um interessante ponto de partida para publicações sobre a obra do Professor Tolkien, haja vista a pertinência com o nome do nosso grupo, o Círculo Nazgûl.

Sendo assim, esperamos que possam aproveitar a leitura e que as discussões sobre o tema possam começar a partir deste texto. Com o tempo, planejamos novos textos e publicações relacionadas ao tema, mas não podemos garantir nenhuma periodicidade.

Texto originalmente publicado por “James” em seu blog “A Tolkienist View”, no link acessado em 14 de março de 2014:

Traduzido por Franz Brehme

01. Introdução

Há muitas teorias e especulações sobre as possibilidades acerca de quem eram e de onde os maiores servos de Sauron vieram.

Para melhor entender suas origens, nós precisamos cuidadosamente analisar um período específico no tempo e cruzar referências com diferentes fontes – tentado, assim, construir uma estrutura de todos os eventos que ocorreram naquele ponto no tempo.

Tal é a proposta deste ensaio. Jogar alguma luz na informação que está disponível para nós e construir uma teoria sobre as diversas possibilidade por meio de conclusões calculadas.

Desnecessário dizer que, apesar de que tudo o que é apresentado agora tem como fonte as obras do próprio Tolkien, o resultado final é inteiramente baseado em especulação de tais textos e das minhas próprias interpretações, as quais não tem a pretensão se serem aceitas como um fato concreto.

02. O que nós sabemos

É um fato sabido entre os leitores de Tolkien que as únicas indicações que nós temos do passado dos Nazgûl referem-se aos seguintes pontos:

  1. Três dos Espectros do Anel são, originariamente, homens de Númenor;
  2. O líder dos Nove era conhecido como o Rei-Bruxo; e
  3. O Segundo em comando era Khamûl, um oriental.

O restante do nosso conhecimento sobre os Espectros do Anel é baseado em suas características e comportamentos que conduziram suas ações em O Senhor dos Anéis e um par de descrições em O Silmarillion e nos Contos Inacabados.

Deste modo, de agora em diante nós devemos especular e chegar a uma conclusão sobre o que está disponível para nós e, assim, esperando esclarecer de alguma forma o tema.

03. Construíndo uma teoria

De modo a iniciar nossa jornada para explorar com mais profundidade a história dos Espectros do Anel, nos primeiro conferir as diversas fontes que temos a nossa disposição, em especial linhas do tempo e citações específicas que levam a aspectos desconhecidos destes seres.

A distribuição dos Nove Anéis de Poder não foi meramente o caso de distribuí-los livremente e à vontade, mas, ao invés disso, um específico movimento político e estratégico de modo que Sauron pudesse assegurar a ele mesmo futuras vitórias e o controle sobre a Terra-média.

04. Determinando uma linha do tempo

As primeiras coisas que devemos levar em consideração são duas datas importantes: a criação do Um Anel e a primeira aparição dos Nazgûl. Em O Senhos dos Anéis (“O Conto dos Anos”) nós somos informados que Sauron forjou o Anel na Segunda Era, c. 1600.

  • Observando algumas datas dos Apêndices, encontramos as seguintes datas:
  • 1695 – As forças de Sauron invadem Eriador. Gil-galad envia Elrond para Eregion.
  • 1697 – Eregion devastada. Morte de Celebrimbor. Os portões de Moria estão fechados.
  • c.1800 – Nesta época em diante os Númenoreanos começam a estabelecer domínios na costa. Sauron expande seu poder para o oriente. A sombra cai em Númenor.
  • 2251 – Tar-Atanamir toma o cetro. A Rebelião e a divisão dos Númenoreanos começa. Nesta época os Nazgûl ou Espectros do Anel, escravos dos Nove Anéis, aparecem por primeira vez.

A data “por volta de 1800” é importante porque ela indica um tempo aproximado quando Sauron deve ter começado a dar os Anéis de Poder para os Homens. Em O Silmarillion, temos uma clara descrição de como os Espectros do anel surgiram (tradução livre):

“Aqueles que usaram os Nove Anéis tornaram-se poderosos em seus dias, reis, feiticeiros e guerreiros antigos. Eles obtiveram glória e grande riqueza [;;;] Eles tinha, como parecia, vida interminável …” – Dos Anéis de Poder

Para que os Homens sejam percebidos como tendo um período de vida mais longo que o comum, muitas centenas de anos precisariam ter passado desde o recebimento de tais anéis, de modo a justificar esta ocorrência não-natural.

Assim, o aparecimento dos Nazgûl no ano 2251 poderia indicar que os Nove receberam seus respectivos Anéis em algum momento entre 1600 (a criação do Um Anel) e 1800 – permitindo cerca de 500 anos para eles adquirirem pode extraordinário e, lentamente, transformá-los em espectros.

05. O Escurecimento de Númenor e a Conquista de Eriador

Tendo estabelecido uma levemente precisa linha do tempo para explorar as origens dos Espectros do Anel, nós precisamos olhar os eventos que ocorreram tanto na Terrra-média como em Númenor.

Nós já lemos que, após a criação do Um Anel, Sauron invade Eriador e destrói Eregion (1695-1697). Demoraria ainda mais três anos aaté 1700, quando Tar-Minastir (então Rei de Númenor) enviasse um exército e derrotasse Sauron.

Antes desse evento, o Senhor do Escuro teria pouco e precioso tempo (no máximo cinco anos) para subjugar alguns Homens dando-lhes vários anéis. Infelizmente, não há evidência de quaisquer “reis” que surgiram de tal área, mas é definitivamente possível que um ou dois “feiticeiros e guerreiros” tenham permanecido escondidos nas sombras dentre os confins de Eriador, até que ele tenham sido completamente escravizados por Sauron (veja mais em “Os Dois Espectros do Anel Restantes” abaixo).

Durante estes eventos, temos também o lento levante em Númenor contra a Proibição dos Valar e contra os próprios Valar. O que é tão significativo sobre este período na história de Arda é a repentina migração em direção aos portos ocidentais da Terra-média por muitos Númenorianos, com a intenção de subjugar os Homens menores que viviam nas regiões costeiras e imediações.

“Os Homens do Rei navegavam muito longe, ao Sul; e os senhorios e fortalezas por eles criados deixaram muitos rumores nas lendas dos Homens.” – O Silmarillion, “O Akallabêth”.

Assim, eles vieram à Terra-média “como senhores e mestres e coletores de tributos”. É muito provável que muitos dos Nazgûl sejam oriundos deste período, onde Tolkien nos conta: “… é dito que dentre aqueles que foram escravizados por ele [Sauron] com os Nove Anéis três eram grandes senhores da raça Númenoriana.”

O Rei-Bruxo, líder dos Nove, provavelmente deve ter sido um destes Númenorianos Negros, que vieram para conquistar e se assentar na costa da Terra-média.

É fascinante considerar este pequeno ponto em relação a três dos Espectros do Anel sendo Númenorianos. Nos Contos Inacabados, Christopher Tolkien escreve: “No Vau do Bruinen apenas o Rei-Bruxo e outros dois, seduzidos pelo Anel bem em frente deles, ousaram enfrentar o rio” (“A Caçada do Anel”, Nota 3).

Poderia isso ter se dado exatamente pelo fato de que estes mesmos três servos já foram “homens do mar” no passado?

Definitivamente é uma possibilidade.

06. Rhûn e Khand

De modo a continuar analisando os demais Espectros do Anelo, seria sábio focar o único outro Nazgûl cujo nome nós sabemos: Khamûl.

“Segundo em Liderança, habitou em Dol Guldur após sua reocupação na Terceira Era. Chamado de A Sombra do Leste, o Oriental Escuro.” – Contos Inacabados, “Índice”.

Num primeiro olhar, seria tentador afirmar que Khamûl deve ser originário de Khand, pelo fato da similiaridade com a expressão “kah”. Contudo, a citação acima demonstra que ele era um “Oriental Escuro”, uma raça de pessoas que vieram das terras de Rhûn. 

Seria seguro, entretanto, presumir que este Espectro do Anel em particular era um homem de Rhûn e assim como os Númenorianos Negros, tornou-se influenciado pelo Senhor do Escuro e adquiriu um dos Anéis de Poder.

Havendo descartado Khand como um possível candidato para as origens de Khamûl, nós ainda não podemos subestimar sua relevância. Localizada próxima à terra de Mordor e tendo sida sua aliada através das Eras, é bem plausível que um Espectro do Anel tenha vindo dessa terra ao sudeste do reino de Sauron.

Isto nos traz a um total de cinco. Três Espectros do Anel de Númenor, os quais se estabeleceram nas costas do Oeste e mais dois do Leste.

07. Motivos estratégicos por trás das escolhas de Sauron

Se nós vamos levar em conta as especulações acima, é interessante ver como Sauron empregou uma estratégica tática de modo a garantir domínio total sobre a Terra-média.

No ano de 2251 da Segunda Era, com a ajuda dos seus Espectros do Anel, Sauron deveria ter controle completo sobre as terras orientais da Terra-média, por Rhûn e Khan (e inclusive Mordor), enquanto outros três de seus servos poderiam residir pelas costas ocidentais do sul.

Sauron deve ter precisado não apenas dos próprios Espectros do Anel, mas também de grupos inteiros de pessoas fortemente sob seu domínio. Desta forma, entre os anos 1600 e 2251, tais Homens que estavam na posse dos Nove Anéis devem ter seus próprios reinos e controlado inúmeros seguidores.

Isto pode ser confirmados mais de mil anos depois, em função da Guerra da Última aliança quando “Sauron convocou a si grande força de seus servos do leste e do sul; e entre eles poucos não eram os da alta raça de Númenor.” – O Silmarillion, “Dos Anéis de Poder”.

08. A Questão de Herumor e Fuinur

Durante o período tardio da Segunda Era, descobrimos a existência de dois indivíduos da raça dos Homens, “Herumor e Fuinur, que ascenderam ao poder entre os Haradrim” (O Silmarillion, “O Akkalabêth”).

Ambos vieram de Númenor e caíram sob o poder de Sauron quando ele foi capturado por Ar-Pharazôn. Mais tarde eles navegaram para o Leste e estabeleceram senhorios em Harad e muitos leitores acreditam que eles eventualmente se tornaram dois dos Espectros do Anel.

Por mais fascinante que esta ideia seja, deve ser enfatizado que estes dois Homens se tornaram Númenorianos Negros bem depois da emersão dos Espectros do Anel e, portanto, eles não poderiam ser também estes mesmo servos.

Contudo, é interessante pensar o motivo pelo qual eles escolheram a terra de Harad. Pode-se legitimamente especular que dois Homens (que mais tarde se transformaram em Nazgûl) vieram desta região, mais de 1700 anos antes e arregimentaram adeptos – dos quais tanto Herumor e Fuinur devem ter feito parte e deram continuidade ao culto em favor de Sauron. 

“O Povo do Rei estabeleceu senhorios em Umbar e Harad e muitos outros lugares nas costas das Grandes Terras.” (The People’s of Middle-earth, “The Tale of Years of the Second Age”, Seção T4).

Os eventos seguintes ocorreram entre 2000-3000 da Segunda Era (de acordo com os rascunhos de Tolkien), um época em que os Númenorianos Negros começaram a se erguer contra as pessoas da Terra-média.

A palavra “senhorio” parece um forte indicador para a origem de um ou dois Espectros do Anel.

Isto forneceria uma forte razão para os Haradrim (ou parte deles) terem se tornado aliados de Sauron durante a Guerra do Anel.

Raízes etimológicas de Herumor e Fuinur

Do Quenya
heru “senhor” + mornië “escuro” – “senhor do escuro”
fuinë – “sombra profunda”

09. Os Dois Espectros do Anel Restantes

As duas últimas fontes de onde os Nazgûl podem ter se originado são as regiões de Eriador e as Montanhas Brancas. Tanto os originais Orientais (da Primeira Era que moravam no oeste da Terra-média e adentraram em Beleriand) e os Homens das Montanhas parecem candidatos prováveis.

“Do povo de Bór, é dito, provém os mais antigos Homens que viveram no norte de Eriador mais tarde, durante a Segunda Era” – Morgoth’s Ring, “The Grey Annals”, nota 466.

Já sabendo que Eriador será conquistada em breve por Sauron, não parece ser um pensamento forçado ponderar na possibilidade de que um destes “Homens antigos” tenha caído sob o poder do Senhor do Escuro e adquirido um dos anéis. 

A outra possibilidade se situa entre os Homens das Montanhas, de quem descendem os Dunlendinos (que durante a Terceira Era constituíram uma séria ameaça aos Rohirrim) e os Homens Mortos de Dunharrow.

Originariamente, eles habitavam em Minhiriath (sul do Eriador), mas após as incursões Númenorianas durante a Segunda Era, eles se espalharam – alguns se dirigiram às Terras Pardas ao leste e para as Montanhas Brancas mais ao sul.

“A população native era bastante numerosa e aguerrida […] comunidades espalhadas sem uma liderança central” mas como a derrubada de árvores por Aldarion (sexto rei de Númenor) aumentou, “eles atacaram e emboscara os Númenorianos sempre que podiam […] e o povo nativo que sobrevive fugiu de Minhiriath […] Desde Enedwaith eles se refugiaram nas montanhas orientais onde, mais tarde, estariam as Terras Pardas” – Contos Inacabados, “A História de Galadriel e Celeborn”. 

A parte mais intrigante do texto, porém, vem das seguintes linhas: “O desnudar das terras aumentou durante a guerra em Eriador; pois os nativos exilados deram as boas-vindas a Sauron e tiveram esperança em sua vitória sobre os Homens do Mar”.

Deste modo, mesmo após serem conquistados por Sauron, muitos dos homens que viviam nas regiões adjacentes começaram a cair sob sua influência – vinculando com força a emersão dos Espectros do Anel com as especulações acima sobre Eriador.

Com relação aos Homens Mortes nas Montanhas Brancas, poderia ser que mais tarde, ainda durante a Segunda era, eles tenham intencionalmente recusado o chamado de Isildur à batalha durante a Guerra da Última Aliança? É possível que eles tenha sido seduzidos pelo poder de um Espectro do Anel que surgiu entre eles logo que eles se estabeleceram na região?

10. Conclusão

Durante este artigo eu tentei acentuar a importância estratégica em escolher regiões específicas da Terra-média que iriam ajudar Sauron a atingir seu objetivo de dominação.

Tendo em mente as especulações acima, três Espectros do Anel estabelecidos do Oeste, quatro do leste e mais dois das regiões de Eriador e Enedwaith, teriam fornecido a oportunidade perfeita para atacar os Povos Livres de todas as direções.

Não se quer dizer que o ocorrido nos anos seguintes (em favor do Senhor do Escuro) tenha acontecido de forma premeditada; mas ao invés, o que ele fez durante a primeira parte da Segunda Era, indiretamente afetou o progresso da guerra contra as raças da Terra-média.

Finalmente, mesmo que eu tenha tentando estabelecer uma história de origem concreta para os Nazgûl, seu poder e atração residem em sua natureza misteriosa.

Explorar estas criaturas desconhecidas em O Senhor dos Anéis é o que fornece uma poderosa experiência de leitura, a qual parece resistir bravamente ao teste do tempo.

Texto originalmente publicado por “James” em seu blog “A Tolkienist View”, no link acessado em 14 de março de 2014:
Traduzido por Franz Brehme

Todos os direitos autorais das ilustrações mostradas aqui pertencem a John Howe e dos vídeos a New Line Cinema.